Estamos em conformidade com as normas LGPD e a resolução CFM/2299 – saiba mais

Pesquisar

Como definir o preço da consulta e outros serviços de saúde

Descubra os fatores que devem ser levados em conta na hora de estipular o preço da consulta e de outros serviços de saúde oferecidos na clínica.

Definir o preço da consulta e de outros serviços oferecidos pela clínica é uma tarefa da qual não há escapatória, mas muitos profissionais ainda têm dúvidas sobre como fazê-la da forma correta.

Ainda que estejamos falando de auxílio e cuidado com outras pessoas, seja físico ou mental, é necessário ter uma remuneração por isso. Afinal, foram anos de estudo e de desenvolvimento de técnicas para levar bem-estar para a população.

Mas, muitas vezes, precificar os serviços de saúde pode não ser uma tarefa tão simples quanto aparenta em um primeiro momento. Existe uma série de itens que precisam ser considerados para o cálculo dessa cobrança.

Neste artigo, a Amplimed vai te contar mais sobre o que é precificação de serviços de saúde, como ela funciona e qual a melhor maneira de realizar na sua clínica.

O que é a precificação de serviços?
Por que é importante definir o preço da consulta e de outros serviços de saúde?
O que deve ser considerado na hora de definir valores?
O que você precisa saber para estipular o preço da consulta
Tipos de precificação
Como definir o preço da consulta e dos serviços de saúde?
Como organizar sua clínica financeiramente?

Cartão de crédito sendo passado na máquina

O que é a precificação de serviços?

Podemos recorrer ao dicionário para aprofundar o entendimento da palavra precificar. Lá, encontramos como significado “eleger um valor para algo”. Mas o mercado financeiro vai além.

De forma geral, precificação de serviços é a definição de uma quantia em dinheiro que deve ser paga por determinada pessoa que usa um serviço ou então vai adquirir um produto.

Esta é uma etapa primordial tanto para quem gerencia um negócio, quanto para quem trabalha de forma autônoma.

No cenário da saúde, o preço da consulta passa por constantes atualizações, uma vez que há renovação de custos a todo momento e também equiparação de mercado.

Leia também: Gestão de custos na clínica médica: como fazer? 

Por que é importante definir o preço da consulta e de outros serviços de saúde?

Precificação é o equilíbrio entre custo, valor e margem de lucro. É a maneira mais coerente de administrar os recursos financeiros de um consultório. Além disso, estipular o preço da consulta te ajuda a:

  • Diminuir riscos de perder pacientes: tanto do ponto de vista de serviços com valores muito altos, que podem se tornar inacessíveis à maioria, quanto de serviços com valores mais baixos, que podem acabar gerando desconfiança na qualidade do que está sendo ofertado;
  • Manter a competitividade: com o preço da consulta e dos serviços equivalente ao preço do mercado, sua clínica se tornará mais competitiva e se tornará uma opção para os pacientes;
  • Reduzir prejuízo: sabendo calcular e gerir corretamente, será possível valorizar seu trabalho e reduzir prejuízos, já que você cobrará um valor justo pelos seus serviços.

Clínica com estrutura moderna

O que deve ser considerado na hora de definir valores?

Definir um preço da consulta justo e compatível com o mercado é uma das partes mais importantes para manter o bom faturamento da sua clínica médica.

Nesse momento, é interessante fugir de achismos, intuições ou apenas pesquisa dos valores cobrados por concorrentes.

É aconselhável usar um planejamento estratégico e cálculos corretos para encontrar a precificação adequada para a sua clínica.

Colocar um valor em produtos e serviços deve, ainda, levar em conta a divulgação. A quantia que o paciente terá que desembolsar por um atendimento ou por um procedimento é um dos principais fatores para a atração de novos pacientes.

É provável que ocorram reclamações ou, até mesmo, perda de clientes se você fizer alterações com frequência. Por isso, avalie algumas vezes antes de chegar ao valor final, para que seus pacientes permaneçam fidelizados e para que você não se prejudique com honorários abaixo do mercado.

As mudanças de preços podem se tornar ainda mais complicadas quando a clínica atende em parceria com operadoras de saúde de convênios médicos. 

Neste caso, há uma tabela de cada convênio que define e limita os honorários, se houver simplesmente uma mudança fora dos padrões, a sua clínica pode se deparar com glosas médicas e outros problemas com o padrão de Troca de Informações na Saúde Suplementar (TISS).

Leia mais: Convênios médicos: das vantagens ao credenciamento 

TISS

Para evitar todos esses problemas, retrabalhos e danos financeiros à sua organização médica, acompanhe, a seguir, como estipular o preço da consulta e outros serviços de saúde de forma justa e bem elaborada. 

O que você precisa saber para estipular o preço da consulta

Antes de mais nada, saiba que a precificação abrange uma série de termos, você os encontra abaixo.

médica observa paciente passar por ressonância

Custo de aquisição

É uma quantia média de tudo que foi pago para que determinado produto ou serviço fosse viabilizado e entregue aos clientes. Esse é o primeiro passo para formular a precificação ideal para sua clínica. Para entender qual é o custo de aquisição, você pode considerar:

  • Impostos nacionais e, em caso de importação e exportação, impostos internacionais;
  • Mão de obra e manuseio;
  • Maquinário;
  • Seguro da atividade;
  • Transporte;
  • Matéria-prima.

Despesas fixas e variáveis

São as despesas gerais da clínica, podendo ser recorrentes, ou seja, fixas, ou pontualmente, também conhecidas como variáveis.

planilha de custos clínicos

Ponto de equilíbrio

É a expressão usada toda vez que falamos que a empresa conseguiu igualar todos os custos com as receitas geradas. É assim que um negócio comercial se torna sustentável e saudável por mais tempo. 

É a situação que qualquer empresa deseja atingir, pois esse é o sinal de que o estabelecimento passou a ter lucratividade. 

Margem de lucro

Lucro é a diferença do que você faturou com determinado produto ou assistência e o quanto você gastou para conseguir fazer a venda. 

Supondo que você teve um faturamento mensal de R$ 10 mil, o custo nesse mesmo intervalo de tempo foi de R$ 5 mil, logo, podemos entender que o lucro foi de R$ 5 mil. 

A partir dessa informação, você pode aplicar a fórmula de margem de lucro, que sempre é analisada em porcentagem. Basta dividir o lucro pelo custo e  multiplicar por 100. Chegando, neste caso, no resultado de 50%.

Valor e preço

Pode parecer que as duas palavras representam a mesma coisa, mas, no fim das contas, não é bem assim. 

De forma resumida, podemos dizer que preço é o tanto que você cobra. Já o valor é um custo a mais que você pode implementar no seu preço por oferecer vantagens ou mais benefícios do que o comum por aquela atividade. Mas é importante entender que valor anda de mãos dadas com o preço.

Compreendidas essas nomenclaturas, fica mais fácil desenvolver um modelo de precificação que pode ser usado e adaptado a todas as vendas que você e seus colaboradores fazem.

Tipos de precificação

Confira os principais tipos de precificação:

Médico com relógio no punho olhando para a câmera

Precificação por hora de trabalho

Quando todo o esforço e o custo são contados a partir do cálculo de horas de trabalho.

Precificação fixa

O cálculo é feito para um determinado produto ou serviço e usado de maneira permanente e constante, como o preço da consulta.

Precificação variável

Quando você tem um preço pré-definido, mas pode ser ajustado e alterado de acordo com particularidades do cliente, como a dificuldade existente no trabalho.

médico em atendimento ao paciente

Como definir o preço da consulta e dos serviços de saúde

Existem dois passos simples que podem ser dados na busca de definir um valor exato.

Definir margem de lucro

Entender qual lucro você precisa ter está integralmente relacionado com valores que vão fazer sua empresa progredir e expandir. 

Isto é: não basta apenas manter os custos e efetuar todos os pagamentos, é preciso destinar uma parte aos novos investimentos.

É aí que nasce a necessidade de definir uma margem de lucro para sua empresa. Nesse momento, você pode e deve olhar para a concorrência e entender como estão fazendo esse cálculo. Mas fique atento ao que faz sentido para a sua empresa de saúde.

Mensurar quanto custa cada paciente

Quanto mais detalhista você for na hora de mensurar os gastos variáveis da sua clínica, mais preciso será seu preço. A precisão na cobrança torna seu negócio mais competitivo, principalmente para os pacientes que não conhecem seu trabalho. 

Tenha em mente que, dependendo da sua especialidade, o número de pacientes que chegam até a sua clínica pode ser maior do que o número de pacientes fidelizados. 

Se você costuma atender um número maior de pacientes que chegam pela primeira vez ao consultório em relação ao número de pacientes que fazem acompanhamento periódico, você deve focar no preço da consulta e nas demais estratégias de marketing na captação de clientes

Para otimizar esse preço, calcule quanto o aumento no número de atendimentos implicará no aumento do custo do seu negócio.

Verifique se você precisará aumentar:

  • O estoque;
  • As ligações telefônicas;
  • A mensalidade do seu software de gestão.

Para guiar sua tomada de decisão, contabilize o custo de cada atendimento pela quantidade de material utilizado, pelo tempo investido etc. 

A soma desses pequenos gastos será o custo variável de cada atendimento. Você perceberá, por exemplo, que há diferença de custo para atendimento entre as especialidades (o que não ocorre em relação aos custos fixos). 

Para finalizar o cálculo do custo de cada paciente, some o custo fixo médio com o custo variável de cada atendimento. Assim, você terá uma base para o preço da consulta e, dessa forma, poderá traçar um planejamento para reduzir os custos da clínica.

Compreender os custos e despesas de cada atividade oferecida

É mais fácil entender esses valores se o cálculo ocorrer de maneira individual, ou se a clínica tiver apenas uma atividade comercial em exercício e registrada no CNAE.

Para ter o controle da contabilidade, você pode começar fazendo uma relação e até mesmo uma planilha descrevendo o item e o valor gasto. Alguns valores que podem constar em custos, são:

  • Preço do aluguel, parcela do espaço comprado ou condomínio do local;
  • Valor de folha de pagamento de funcionários, pagamento de profissionais terceirizados ou que estão na modalidade PJ;
  • Conta de água, luz, internet e, se houver, gás;
  • Compra de materiais essenciais na prática médica.

Nos proventos, é interessante colocar: nome do paciente, tipo de procedimento, exame ou consulta feita, valor recebido e a forma de pagamento (dinheiro, PIX, cartão etc.)

Esse processo de detalhamento de custos e proventos pode se tornar uma dor de cabeça dependendo das ferramentas que você utilizar. Se você optar pelo método manual, algumas informações podem se perder no meio do caminho, inclusive por erro humano.

Cada vez mais o ramo da saúde tem sido palco para inovações tecnológicas, levando mais modernidade, facilidade e agilidade às práticas.

Mas não é somente no exercício prático e direto da medicina. Há extensão para outras áreas. Um módulo financeiro dentro de software de saúde, por exemplo, pode facilitar essas anotações, porque já vem com algumas formatações já programadas. 

Leia mais: Módulo de Pagamento do Sistema Amplimed: gestão financeira inteligente 

Posicionar sua marca no mercado

Agora que você já sabe quanto custa cada atendimento, você pode começar a pensar em lucratividade. O primeiro obstáculo para o aumento do preço é o seu posicionamento no mercado. A regra de oferta e demanda deve ser utilizada. 

De forma simplificada, significa que quanto mais específico for o seu atendimento, maior poderá ser o preço. Em outras palavras, quanto menor o número de profissionais que atendem a mesma demanda que você, maior pode ser o preço cobrado.

mulher fazendo contabilidade do caixa

Como organizar sua clínica financeiramente? 

Informações sobre estoque, gastos, ganhos, despesas com funcionários e manutenção do local precisam estar na ponta da língua de qualquer gestor.

Contudo, a correria do dia a dia pode fazer com que esses dados escapem, ainda que sejam de extrema importância. A ideia, então, é ter um aliado para esses momentos. 

Essa parceria se trata do apoio da tecnologia. O sistema da Amplimed vai te ajudar a lidar com todas as questões financeiras que a precificação de serviços de saúde demanda.

A boa notícia é que você pode ter acesso aos benefícios do módulo de gestão financeira da Amplimed ainda hoje!

Aproveite essa oportunidade de alavancar a dinâmica e os números da sua clínica.

Inscreva-se em nossa newsletter

Receba novidades todas as semanas em seu e-mail

Posts relacionados

Conheça o sistema de gestão que auxilia no gerenciamento de sua clínica de ponta a ponta e descubra 9 formas práticas para diminuir custos.
Conheça os benefícios, os desafios, as principais integrações e muito mais sobre o prontuário eletrônico, suas funcionalidades e implementação.
Você sabe por que deve implementar um sistema de agendamento médico em sua clínica? Conheça 6 benefícios que podem convencê-lo.
Como medir o faturamento da clínica? Saiba como um sistema de gestão pode ajudar no controle financeiro do seu negócio de saúde.

Antes de falar com nosso time comercial,
nos informe:

Está buscando atendimento médico? Clique aqui

É paciente? Atenção!

Nosso sistema é exclusivo para gestão de clínicas, consultórios e operadoras de saúde. Se você precisa de atendimento, conheça nosso agendamento online e encontre os melhores profissionais.