Estamos em conformidade com as normas LGPD e a resolução CFM/2299 – saiba mais

Pesquisar

Como implantar telemedicina na clínica: confira o guia

Como implantar telemedicina tem se tornado uma pergunta comum desde que houve a necessidade do isolamento social. Desde então, a telemedicina tem ajudado tanto os médicos em seus consultórios, quanto os pacientes, uma vez que ela facilita o atendimento. Confira, neste artigo, como implantá-la! 

Durante dois anos nos quais o distanciamento social foi a palavra-chave, nós tivemos que nos adaptar. E as telas foram as maiores aliadas para a conexão entre as pessoas.

Quem não era muito amigo da tecnologia, passou a compreendê-la porque era a única forma de amenizar sentimentos como a saudade.

Já quem estava na linha de frente de combate, não poderia e não gostaria de arriscar seus pacientes em consultas presenciais. E o mesmo pensamento vinha de quem precisava de atendimento.

Assim, a telemedicina ganhou forma, espaço, regulamentações e confiança de quem procurava o teleatendimento. 

Mas, depois de todo esse tempo, novas resoluções no Conselho Federal de Medicina (CFM) e, principalmente, novos recursos tecnológicos que possibilitam atender por uma tela, você saberia hoje o que é necessário para implantar esse sistema na sua clínica?

Preparamos, neste artigo, tudo o que você precisa saber sobre como implantar a telemedicina no consultório. Confira!

O que é a telemedicina?

A telemedicina é uma modalidade de atendimento muito bem aceita entre médicos e pacientes. A prática consiste em fazer consultas, monitoramento de pacientes, trocas de informações médicas e avaliações de exames por meio do computador ou celular.

Segundo dados do Summit Saúde, a Harmony HealthCare IT fez um estudo no qual entrevistou mais de 2.000 jovens.

Entre eles, 69% afirmaram buscar por atendimento online com alguma constância, e dos 79% que tiveram algum contato com APS (Atenção Primária à Saúde), 41% preferem sua consulta via telemedicina.

Quando usar a telemedicina?

Esse tipo de atendimento se tornou uma opção viável a quem não pode, por qualquer motivo, comparecer com frequência a um consultório físico.

Seja por necessidade de atendimento rápido, por recomendação de isolamento ou qualquer outro motivo, o paciente se conecta com o médico por uma tela, e tem exatamente os mesmos benefícios de uma consulta física, com uma boa anamnese e prescrições digitais.

Como a telemedicina ajuda no seu consultório?

A telemedicina proporciona benefícios que vão desde o aumento da demanda da sua clínica, até a otimização no tempo de consulta.

Os pacientes antigos sentem uma maior segurança e fidelização, pois podem recorrer ao seu médico de confiança mesmo quando não estiverem por perto.

E a atração de pacientes novos também é expandida graças a uma maior prontidão em relação aos atendimentos.

A questão que deve ser feita, além de como implantar telemedicina no consultório, é o quanto a clínica está pronta para recebê-la.

Seu administrador precisa ter conhecimento aprofundado das regulamentações para não cair em algumas armadilhas, e são elas que abordaremos agora.

O que regulamenta a telemedicina?

O órgão responsável pela normativa desta modalidade de atendimentos é o Conselho Federal de Medicina (CFM), que no dia 5 de maio de 2022 colocou em vigor a Resolução nº 2134/2022, que regulamenta a telemedicina no Brasil.

Além disso, foi criada pelo Ministério da Saúde uma portaria que promete oferecer o teleatendimento por meio do SUS, em 323 municípios. O ministro Marcelo Queiroga autorizou um investimento de R$ 15 milhões em um programa que durará 18 meses.

Quando usar a telemedicina?

O atendimento à distância se tornou essencial em tempos de pandemia e isolamento, mas perdura até os dias atuais e tem ainda um futuro promissor.

Para o médico, tal meio fideliza pacientes que confiaram em seu atendimento, mas não podem estar sempre fisicamente presentes.

Para os pacientes, proporciona uma economia de tempo e praticidade diária.

Quando o atendimento é procurado, por exemplo, com um quadro clínico crítico, em que são apresentados sintomas e não apenas um cuidado rotineiro, ter a possibilidade de um atendimento remoto é a melhor forma de evitar que a pessoa enferma tenha contato com outras.

Para alguns pacientes específicos, como é o caso dos imunossuprimidos, a telemedicina, assim como o cuidado home care, reduz riscos de infecções hospitalares.

A segurança da sua casa é a melhor forma de cuidar da saúde em certas situações.

Como a telemedicina ajuda?

A telemedicina oferece diversos benefícios para os pacientes e para os médicos, como:

  • Otimização do tempo;
  • Organização e melhor distribuição dos horários de agendamentos;
  • Menos riscos aos pacientes e médicos.

Além desses benefícios, novas vantagens surgem à medida que a telemedicina vai se desenvolvendo.

A partir da atual resolução do CFM, foram incluídas submodalidades dentro do teleatendimento, facilitando a APS, diagnósticos e acompanhamento. Entre elas, estão:

  • Teleconsulta: o atendimento habitual e mais simples, realizado de forma online dentro de TDICs (Tecnologias digitais, de Informação e de Comunicação), em que médicos e pacientes não estão no mesmo ambiente;
  • Teleinterconsulta: segue os parâmetros da teleconsulta, mas há intercâmbio de informações e opiniões médicas. O paciente pode estar na videochamada ou não;
  • Telediagnóstico: se trata da emissão de laudos de exames, por meio de gráficos, imagens e dados informados via internet;
  • Telecirurgia: item recente e disposto na resolução nº2311/2022 do CFM, se trata de uma cirurgia robótica. Quem realiza o procedimento é um robô desenvolvido para tal. O mesmo é controlado por um médico especialista que não está presente fisicamente;
  • Telemonitoramento: se caracteriza pelo acompanhamento do quadro clínico do paciente;
  • Teletriagem: é o momento de avaliação do paciente, feito à distância por um médico. É ele quem irá definir o encaminhamento para o especialista correto.

Como implantar telemedicina no consultório?

Há uma maneira de implementar a telemedicina no consultório de forma correta e seguindo os padrões propostos pelo CFM: fazendo isso por meio de um software de gestão que disponibilize o recurso de teleatendimento.

A telemedicina não deve, por exemplo, ser feita por WhatsApp ou outros canais informais de comunicação. É necessário priorizar a segurança do médico e do paciente, e isso é possível com uma plataforma de atendimento que siga as normas da Lei Geral da Proteção de Dados (LGPD).

Veja, a seguir, alguns outros pontos que ajudarão na implementação deste sistema de consultas.

Passo a passo

  • Verifique se a clínica está preparada para atender uma demanda maior;
  • Capacite e disponibilize treinamentos às secretárias e outros colaboradores;
  • Estruture a clínica para ser compatível ao recebimento do recurso (boas conexões de internet, bons computadores);
  • Prepare a segurança das informações dos pacientes;
  • Faça a adesão do melhor pacote de gestão médica da Amplimed.

Conheça a Amplimed

Depois deste guia, você já sabe como implantar telemedicina na sua clínica.

E sabe também que a Amplimed é o software ideal para isso. Pioneiro no mercado nacional, unificando e conectando o ecossistema da saúde no Brasil por meio de recursos inovadores, como:

  • Telemedicina integrada ao prontuário eletrônico;
  • Prescrição digital integrada à Memed;
  • Sistema de armazenamento em nuvem;
  • Normas de segurança de acordo com a LGPD;
  • Módulo financeiro com relatórios e controle de fluxo de caixa.

O maior ponto da plataforma é sua constante renovação para atender novas demandas e atualizar as suas ferramentas mais renomadas, como a telemedicina, que passou a ser a Telemedicina 2.0.

Entre as novidades dessa nova versão, estão a inversão de câmera, permitindo que o paciente altere a tela que mostra seu rosto e passe a focar em um exame sobre a mesa.

Além disso, outros novos recursos também estão disponíveis, como:

  • Imagem e áudio ativados ou desativados;
  • Notificação sonora e visual de novas mensagens recebidas no chat;
  • Compartilhamento de tela, facilitando a visualização de anexos importantes para a consulta.

Conheça agora mesmo a solução Amplimed, que mudará a forma como a sua clínica utiliza a telemedicina!

Inscreva-se em nossa newsletter

Receba novidades todas as semanas em seu e-mail

Posts relacionados

Conheça o sistema de gestão que auxilia no gerenciamento de sua clínica de ponta a ponta e descubra 9 formas práticas para diminuir custos.
Conheça os benefícios, os desafios, as principais integrações e muito mais sobre o prontuário eletrônico, suas funcionalidades e implementação.
Você sabe por que deve implementar um sistema de agendamento médico em sua clínica? Conheça 6 benefícios que podem convencê-lo.
Como medir o faturamento da clínica? Saiba como um sistema de gestão pode ajudar no controle financeiro do seu negócio de saúde.

Antes de falar com nosso time comercial,
nos informe:

Está buscando atendimento médico? Clique aqui

É paciente? Atenção!

Nosso sistema é exclusivo para gestão de clínicas, consultórios e operadoras de saúde. Se você precisa de atendimento, conheça nosso agendamento online e encontre os melhores profissionais.