Estamos em conformidade com as normas LGPD e a resolução CFM/2299 – saiba mais

Equipamentos médicos para clínica: como escolher os melhores

Equipamentos médicos

Compartilhe esse artigo em suas redes

Pop up de notícias sobre a CFM, regulamentação da Telemedicina no Brasil

Não tem como um estabelecimento funcionar sem equipamentos médicos para a clínica, não é? Para quem está pensando em começar a montar um negócio na área da saúde ou ainda for o responsável por esse setor em um hospital, por exemplo, deve ficar sempre atento às necessidades de atendimento, criações tecnológicas do mercado e manutenções dos instrumentos.

A Amplimed preparou esse texto para te auxiliar na pesquisa e não errar na hora de escolher os equipamentos médicos para a clínica!

O que analisar na hora de escolher equipamentos médicos

Antes de mais nada, você precisa saber que o processo de escolher equipamentos médicos para a clínica demanda muita pesquisa, reflexão, bom senso e avaliações de qualidades. Afinal, estamos falando do cuidado com o corpo físico e com a mente de outras pessoas.

Profissionais da saúde são responsáveis por diagnósticos, escolhas de tratamentos e realização de procedimentos e cirurgias para melhorar o quadro clínico na busca de melhor qualidade de vida e aumento da sensação de bem-estar. Você pode se atentar a:

  • Analise quais são todas as opções daquele modelo de equipamento que você está buscando. Veja qual o tempo de mercado de cada uma, procure por resenhas feitas por demais profissionais e qual o posicionamento daquela marca perante a classe. Também veja se já houve algum problema, recall ou falta de funcionalidade de alguma função em determinado tempo de uso.
  • Veja se o equipamento está regularizado com a Anvisa. Imagina investir em um determinado instrumento e ele não ter aval para ser utilizado.
  • Avalie o custo-benefício. Um planejamento financeiro pode te ajudar a conseguir todos os equipamentos médicos para a clínica. Mas na hora de adquirir, faça um balanço financeiro do qual compensa mais. Pode ser que você pague mais por equipamento agora, mas ele vai durar mais anos do que a opção mais barata. Esteja aberto para aluguel de instrumentos se não houver recursos para começar a investir.

Você pode pesquisar locais que vendem ou alugam equipamentos médicos para a clínica tanto de forma física ou de forma online.

A internet vai possibilitar que você entre em contato com fornecedores que estão espalhados por toda a extensão do território brasileiro, quando não mundial. Isso abre possibilidades de ter instrumentos às vezes mais baratos, mais novos e mais atualizados.

Por outro lado, você também pode ir até lojas personalizadas, campos fabris, feiras e congressos em que as marcas dos principais equipamentos costumam se instalar para ofertar esses produtos. Assim você consegue conversar pessoalmente, tocar nos equipamentos médicos, ver como funciona, conversar com as demais pessoas que estão ali e aí então decidir se quer comprar ou não.

Regularização da Anvisa sobre equipamentos médicos

Depois de escolher os melhores equipamentos médicos para a clínica, é hora de ficar regular com as obrigações impostas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Pois é, não basta somente escolher o melhor e começar a usar. Essa instituição é responsável por fazer o controle, mapear e atestar o uso dos equipamentos que foram escolhidos.

É interessante que esse processo seja feito antes mesmo de você fazer a compra. No momento inicial, é importante saber se aquele instrumento escolhido já está de acordo com as normas propostas pela Anvisa, isto é, testados e aprovados.

Os riscos de uso de cada aparelho são classificados como I – baixo risco; II – médio risco; III – alto risco; IV – máximo risco.

Depois disso, é preciso fazer uma espécie de registro de tudo que será usado na sua instituição, podendo ser desde um hospital até uma clínica. Essas etapas são denominadas de processo de regularização de equipamentos médicos. A Anvisa desenvolveu um manual para isso.

Também é necessário ter o certificado de boas práticas da fabricação do produto, definido pela Resolução da Diretoria Colegiada nº39 do ano de 2013.

Antes mesmo desse período, houve a promulgação da RDC nº185 que definiu o registro, alteração, revalidação e cancelamento do uso de equipamentos médicos. As regras se dividem em 4 grupos:

  • Produtos não invasivos, que são abrangidos pelas regras de n º1 a 4;
  • Produtos invasivos que são contemplados pelas regras de nº5 a 8;
  • Produtos ativos do nº9 até o 12;
  • E as regras especiais que vão do nº13 até 18.

Para iniciar esse processo, você pode acessar essa área do site da Anvisa e começar a adequar todos os seus equipamentos médicos nas legislações previstas.

Principais equipamentos médicos dentro de uma clínica 

Existe uma infinidade de modelos e tipos de equipamentos médicos que podem ser bem úteis para um consultório médico. O leque se abre ainda mais quando começamos a falar de diversos tipos de especialidades em um único local de atendimento. Pensando nisso, separamos quais são os principais equipamentos médicos para a clínica.

Estetoscópio

Usado para amplificar sons produzidos pelo corpo humano. Facilitando ouvir sons do pulmão, do coração e do intestino, por exemplo. É um dos instrumentos mais básicos e que, algumas vezes, já é utilizado ainda no período de graduação em medicina.

Não existe apenas um tipo de estetoscópio. Então é interessante você saber quais são os principais para conseguir escolher o mais adequado para o momento que está vivendo agora e também pensando a longo prazo, a partir do planejamento estratégico da sua empresa.

O mais encontrado hoje no mercado é o estetoscópio Rappaport. Ele possui dois tubos e dois fones, ajudando ainda mais a escutar a parte respiratória e cardíaca do paciente de uma maneira não invasiva. Costuma ser muito utilizado por profissionais que estão na fase de residência médica.

Dentro dessa divisão de Rappaport ainda há uma subdivisão entre simples e duplo. No caso do simples, é mais usado por quem está fazendo especialização em cardiologia ou até quem já trabalha nessa área há muito tempo. Esse equipamento já é o suficiente para ser um dos equipamentos médicos para a clínica que você administra.

Muitas pessoas escolhem o duplo por ser mais versátil e por possibilitar mais opções de uso. Existe, por exemplo, o modo diafragma que permite ouvir sons do coração. Quando for necessário ouvir os pulmões, pode ser utilizado o modo campainha.

Esfigmomanômetro

É um importante equipamento médico para a clínica porque serve para aferir a pressão arterial dos pacientes.

Em centros especializados no cuidado da saúde da população, o mais encontrado é o esfigmomanômetro de aneróide, já que são compactos e podem ser usados em conjunto com o estetoscópio.

Antigamente, o esfigmomanômetro de mercúrio era uma opção, mas ele foi proibido pela Anvisa no início de 2019 justamente por conta da existência desse componente.

Além dessa questão, o órgão também levou em conta a Convenção de Minamata de 2013 que relacionou o uso do mercúrio e os danos ambientais que o país sofreria por isso. O Brasil e mais 140 países assinaram essa convenção em respeito às questões de fauna e flora mundial.

Oxímetro

Aparelho usado para medir a quantidade de oxigênio no sangue. Ele ficou ainda mais popular após a pandemia da covid-19. Cidadãos comuns começaram a comprar esse aparelho por conta própria para saber o nível de saturação, sobretudo quando havia quadros de complicações respiratórias.

Se hoje é um instrumento que pode ser encontrado na casa do brasileiro, é quase que obrigatório ter esse equipamento médico para a clínica. Portanto, saiba que existem duas maneiras de fazer essa medicação: com oxímetro de dedo ou de pulso.

O de pulso é o mais encontrado em centros hospitalares e consultórios porque fica acoplado a demais aparelhos, principalmente em casos de internações.

O modelo de medicação pelo dedo acaba sendo mais compacto e utilizado em casos muito pontuais e mais simples. Esse tipo pode ser escolhido para o médico ter por conta própria e para uso pessoal.

Mesa de Exames

Quase todo processo de avaliação médica é feito em uma mesa de exames. Se for necessário aferir a pressão, conferir os batimentos com o uso do estetoscópio ou fazer algum tipo de aplicação medicamentosa simples, deve ser feito em cima de uma mesa de exames.

Essa mesa precisa estar muito bem esterilizada e confortável para o paciente, facilitando todo o processo médico.

Junto com a mesa de exames pode ainda ter um pequeno armário para guardar materiais que serão necessários no momento de utilização da mesa, como papel toalha, algodão e folhas de proteção do estofado da mesa.

Balança

Esse é mais um equipamento que é encontrado em locais mais comuns e usuais, como farmácias e domicílios. Então, é de suma importância que tenha na sua clínica médica também.

A balança serve para conferir altura e peso do paciente, dado básico importante na triagem e no momento de anamnese. Ter essas informações no prontuário eletrônico do paciente serve para entender qual a melhor dosagem para aplicar a medicação.

Em casos de cirurgia também, pois definem a quantidade de anestesia que uma pessoa pode receber. Por fim, é importante entender se o paciente precisa de acompanhamento com demais especialistas médicos como nutricionistas, endócrinos ou nutrólogos.

Otoscópio

Mais um equipamento médico para a sua clínica! Ele é responsável por iluminar e examinar o ouvido do paciente. É versátil e pode ser usado até para avaliar a garganta de uma pessoa.

Os especialistas que mais usam esse instrumento são: clínicos gerais, pediatras e otorrinolaringologistas.

Negatoscópio

Nada mais é do que um painel que possibilita a observação de exames de imagem, como o raio-x. É com esse tipo de equipamento médico para a clínica que fica mais fácil de ver as radiografias e melhorar o diagnóstico dos pacientes.

Computadores e dispositivos móveis

Você consegue imaginar como é o funcionamento de um estabelecimento comercial na área da saúde que não tem nenhum computador para auxiliar nas demandas do cotidiano? Tudo pode ser mais lento, restrito e muito frágil.

Ainda pode ser não algo obrigatório na clínica, mas ter um computador nesse espaço se tornou um comportamento muito comum e usual.

Antigamente só era necessário ter um computador e em formato de desktop, ou seja, móveis e difíceis de serem transportados de um lado para outro, porque era o tanto que a tecnologia tinha avançado na época e o tanto que a medicina já tinha entendido como se beneficiar desse setor.

Mas hoje em dia, a tecnologia já colabora com a praticidade, rapidez e otimização de tarefas. Então apostar em laptops pode ser uma boa escolha, além de ser uma ferramenta complementar ao computador.

Outro ponto importante é o uso de tablets e celulares. Após as diversas descobertas tecnológicas que o mundo vivenciou desde o início do século 21, ter informações em dispositivos portáteis como um smartphone agiliza muito o atendimento e dá mais possibilidades de comunicação tanto aos pacientes que vão receber ao diagnóstico quanto ao restante da equipe que faz todos os procedimentos administrativos e burocráticos para essa descoberta.

Nesse texto te trouxemos informações sobre os equipamentos médicos para uma clínica médica. É uma dúvida muito comum para quem está começando a empreender no ramo ou então vai assumir uma posição de gestão e liderança em um consultório.

Mas os desafios não param por aí. Existe muito conhecimento que pode ser adquirido para auxiliar nessa fase.

Para continuar descobrindo dados importantes para ter um negócio no setor da saúde, preencha os dados abaixo e baixe agora mesmo o e-book que a Amplimed preparou para você sobre como abrir uma clínica médica!

Não tem como um estabelecimento funcionar sem equipamentos médicos para a clínica, não é? Para quem está pensando em começar a montar um negócio na área da saúde ou ainda for o responsável por esse setor em um hospital, por exemplo, deve ficar sempre atento às necessidades de atendimento, criações tecnológicas do mercado e manutenções dos instrumentos.

A Amplimed preparou esse texto para te auxiliar na pesquisa e não errar na hora de escolher os equipamentos médicos para a clínica!

O que analisar na hora de escolher equipamentos médicos

Antes de mais nada, você precisa saber que o processo de escolher equipamentos médicos para a clínica demanda muita pesquisa, reflexão, bom senso e avaliações de qualidades. Afinal, estamos falando do cuidado com o corpo físico e com a mente de outras pessoas.

Profissionais da saúde são responsáveis por diagnósticos, escolhas de tratamentos e realização de procedimentos e cirurgias para melhorar o quadro clínico na busca de melhor qualidade de vida e aumento da sensação de bem-estar. Você pode se atentar a:

  • Analise quais são todas as opções daquele modelo de equipamento que você está buscando. Veja qual o tempo de mercado de cada uma, procure por resenhas feitas por demais profissionais e qual o posicionamento daquela marca perante a classe. Também veja se já houve algum problema, recall ou falta de funcionalidade de alguma função em determinado tempo de uso.
  • Veja se o equipamento está regularizado com a Anvisa. Imagina investir em um determinado instrumento e ele não ter aval para ser utilizado.
  • Avalie o custo-benefício. Um planejamento financeiro pode te ajudar a conseguir todos os equipamentos médicos para a clínica. Mas na hora de adquirir, faça um balanço financeiro do qual compensa mais. Pode ser que você pague mais por equipamento agora, mas ele vai durar mais anos do que a opção mais barata. Esteja aberto para aluguel de instrumentos se não houver recursos para começar a investir.

Você pode pesquisar locais que vendem ou alugam equipamentos médicos para a clínica tanto de forma física ou de forma online.

A internet vai possibilitar que você entre em contato com fornecedores que estão espalhados por toda a extensão do território brasileiro, quando não mundial. Isso abre possibilidades de ter instrumentos às vezes mais baratos, mais novos e mais atualizados.

Por outro lado, você também pode ir até lojas personalizadas, campos fabris, feiras e congressos em que as marcas dos principais equipamentos costumam se instalar para ofertar esses produtos. Assim você consegue conversar pessoalmente, tocar nos equipamentos médicos, ver como funciona, conversar com as demais pessoas que estão ali e aí então decidir se quer comprar ou não.

Regularização da Anvisa sobre equipamentos médicos

Depois de escolher os melhores equipamentos médicos para a clínica, é hora de ficar regular com as obrigações impostas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Pois é, não basta somente escolher o melhor e começar a usar. Essa instituição é responsável por fazer o controle, mapear e atestar o uso dos equipamentos que foram escolhidos.

É interessante que esse processo seja feito antes mesmo de você fazer a compra. No momento inicial, é importante saber se aquele instrumento escolhido já está de acordo com as normas propostas pela Anvisa, isto é, testados e aprovados.

Os riscos de uso de cada aparelho são classificados como I – baixo risco; II – médio risco; III – alto risco; IV – máximo risco.

Depois disso, é preciso fazer uma espécie de registro de tudo que será usado na sua instituição, podendo ser desde um hospital até uma clínica. Essas etapas são denominadas de processo de regularização de equipamentos médicos. A Anvisa desenvolveu um manual para isso.

Também é necessário ter o certificado de boas práticas da fabricação do produto, definido pela Resolução da Diretoria Colegiada nº39 do ano de 2013.

Antes mesmo desse período, houve a promulgação da RDC nº185 que definiu o registro, alteração, revalidação e cancelamento do uso de equipamentos médicos. As regras se dividem em 4 grupos:

  • Produtos não invasivos, que são abrangidos pelas regras de n º1 a 4;
  • Produtos invasivos que são contemplados pelas regras de nº5 a 8;
  • Produtos ativos do nº9 até o 12;
  • E as regras especiais que vão do nº13 até 18.

Para iniciar esse processo, você pode acessar essa área do site da Anvisa e começar a adequar todos os seus equipamentos médicos nas legislações previstas.

Principais equipamentos médicos dentro de uma clínica 

Existe uma infinidade de modelos e tipos de equipamentos médicos que podem ser bem úteis para um consultório médico. O leque se abre ainda mais quando começamos a falar de diversos tipos de especialidades em um único local de atendimento. Pensando nisso, separamos quais são os principais equipamentos médicos para a clínica.

Estetoscópio

Usado para amplificar sons produzidos pelo corpo humano. Facilitando ouvir sons do pulmão, do coração e do intestino, por exemplo. É um dos instrumentos mais básicos e que, algumas vezes, já é utilizado ainda no período de graduação em medicina.

Não existe apenas um tipo de estetoscópio. Então é interessante você saber quais são os principais para conseguir escolher o mais adequado para o momento que está vivendo agora e também pensando a longo prazo, a partir do planejamento estratégico da sua empresa.

O mais encontrado hoje no mercado é o estetoscópio Rappaport. Ele possui dois tubos e dois fones, ajudando ainda mais a escutar a parte respiratória e cardíaca do paciente de uma maneira não invasiva. Costuma ser muito utilizado por profissionais que estão na fase de residência médica.

Dentro dessa divisão de Rappaport ainda há uma subdivisão entre simples e duplo. No caso do simples, é mais usado por quem está fazendo especialização em cardiologia ou até quem já trabalha nessa área há muito tempo. Esse equipamento já é o suficiente para ser um dos equipamentos médicos para a clínica que você administra.

Muitas pessoas escolhem o duplo por ser mais versátil e por possibilitar mais opções de uso. Existe, por exemplo, o modo diafragma que permite ouvir sons do coração. Quando for necessário ouvir os pulmões, pode ser utilizado o modo campainha.

Esfigmomanômetro

É um importante equipamento médico para a clínica porque serve para aferir a pressão arterial dos pacientes.

Em centros especializados no cuidado da saúde da população, o mais encontrado é o esfigmomanômetro de aneróide, já que são compactos e podem ser usados em conjunto com o estetoscópio.

Antigamente, o esfigmomanômetro de mercúrio era uma opção, mas ele foi proibido pela Anvisa no início de 2019 justamente por conta da existência desse componente.

Além dessa questão, o órgão também levou em conta a Convenção de Minamata de 2013 que relacionou o uso do mercúrio e os danos ambientais que o país sofreria por isso. O Brasil e mais 140 países assinaram essa convenção em respeito às questões de fauna e flora mundial.

Oxímetro

Aparelho usado para medir a quantidade de oxigênio no sangue. Ele ficou ainda mais popular após a pandemia da covid-19. Cidadãos comuns começaram a comprar esse aparelho por conta própria para saber o nível de saturação, sobretudo quando havia quadros de complicações respiratórias.

Se hoje é um instrumento que pode ser encontrado na casa do brasileiro, é quase que obrigatório ter esse equipamento médico para a clínica. Portanto, saiba que existem duas maneiras de fazer essa medicação: com oxímetro de dedo ou de pulso.

O de pulso é o mais encontrado em centros hospitalares e consultórios porque fica acoplado a demais aparelhos, principalmente em casos de internações.

O modelo de medicação pelo dedo acaba sendo mais compacto e utilizado em casos muito pontuais e mais simples. Esse tipo pode ser escolhido para o médico ter por conta própria e para uso pessoal.

Mesa de Exames

Mesa de exames

Quase todo processo de avaliação médica é feito em uma mesa de exames. Se for necessário aferir a pressão, conferir os batimentos com o uso do estetoscópio ou fazer algum tipo de aplicação medicamentosa simples, deve ser feito em cima de uma mesa de exames.

Essa mesa precisa estar muito bem esterilizada e confortável para o paciente, facilitando todo o processo médico.

Junto com a mesa de exames pode ainda ter um pequeno armário para guardar materiais que serão necessários no momento de utilização da mesa, como papel toalha, algodão e folhas de proteção do estofado da mesa.

Balança

Esse é mais um equipamento que é encontrado em locais mais comuns e usuais, como farmácias e domicílios. Então, é de suma importância que tenha na sua clínica médica também.

A balança serve para conferir altura e peso do paciente, dado básico importante na triagem e no momento de anamnese. Ter essas informações no prontuário eletrônico do paciente serve para entender qual a melhor dosagem para aplicar a medicação.

Em casos de cirurgia também, pois definem a quantidade de anestesia que uma pessoa pode receber. Por fim, é importante entender se o paciente precisa de acompanhamento com demais especialistas médicos como nutricionistas, endócrinos ou nutrólogos.

Otoscópio

Mais um equipamento médico para a sua clínica! Ele é responsável por iluminar e examinar o ouvido do paciente. É versátil e pode ser usado até para avaliar a garganta de uma pessoa.

Os especialistas que mais usam esse instrumento são: clínicos gerais, pediatras e otorrinolaringologistas.

Negatoscópio

equipamentos médicos

Nada mais é do que um painel que possibilita a observação de exames de imagem, como o raio-x. É com esse tipo de equipamento médico para a clínica que fica mais fácil de ver as radiografias e melhorar o diagnóstico dos pacientes.

Computadores e dispositivos móveis

Você consegue imaginar como é o funcionamento de um estabelecimento comercial na área da saúde que não tem nenhum computador para auxiliar nas demandas do cotidiano? Tudo pode ser mais lento, restrito e muito frágil.

Ainda pode ser não algo obrigatório na clínica, mas ter um computador nesse espaço se tornou um comportamento muito comum e usual.

Antigamente só era necessário ter um computador e em formato de desktop, ou seja, móveis e difíceis de serem transportados de um lado para outro, porque era o tanto que a tecnologia tinha avançado na época e o tanto que a medicina já tinha entendido como se beneficiar desse setor.

Mas hoje em dia, a tecnologia já colabora com a praticidade, rapidez e otimização de tarefas. Então apostar em laptops pode ser uma boa escolha, além de ser uma ferramenta complementar ao computador.

Outro ponto importante é o uso de tablets e celulares. Após as diversas descobertas tecnológicas que o mundo vivenciou desde o início do século 21, ter informações em dispositivos portáteis como um smartphone agiliza muito o atendimento e dá mais possibilidades de comunicação tanto aos pacientes que vão receber ao diagnóstico quanto ao restante da equipe que faz todos os procedimentos administrativos e burocráticos para essa descoberta.

Nesse texto te trouxemos informações sobre os equipamentos médicos para uma clínica médica. É uma dúvida muito comum para quem está começando a empreender no ramo ou então vai assumir uma posição de gestão e liderança em um consultório.

Mas os desafios não param por aí. Existe muito conhecimento que pode ser adquirido para auxiliar nessa fase.

Para continuar descobrindo dados importantes para ter um negócio no setor da saúde, preencha os dados abaixo e baixe agora mesmo o e-book que a Amplimed preparou para você sobre como abrir uma clínica médica!

Compartilhar em:

Olá amigo(a), conheça o software Amplimed, feito por médicos, com a intenção de contribuir com o ecossistema da saúde de forma digital.
Doutor marcos andré
Marcos. A. Sonagli
Ortopedista
5/5
"A Amplimed é uma empresa séria e competente, presta um serviço de referência no atendimento e suporte ao cliente. O sistema é de fácil manuseio, oferece suporte instantâneo, possui múltiplas funções que facilitam a organização da sua clínica."
Que tal testar grátis o sistema Amplimed?