Estamos em conformidade com as normas LGPD e a resolução CFM/2299 – saiba mais

Pesquisar

Como oferta e demanda são aplicadas na área da saúde?

Fica mais fácil compreender a lei de oferta e demanda na área da saúde se compararmos com algo simples do dia a dia. Quantas vezes você já foi ao mercado, como de costume, mas naquele dia o preço de determinado alimento estava muito mais caro do que o normal? Às vezes ainda sendo caro, não existiam tantos expostos assim. 

Essa situação é passível de ocorrer em muitas situações do cotidiano. E para tudo na vida, existe ônus e bônus tanto para quem produz quanto para quem consome. 

Continue lendo esse texto para entender como você pode utilizar a lei de oferta e demanda no seu trabalho de prestação de serviços na área da saúde. 

O que é oferta e demanda? 

A ideia de oferta e demanda surge como uma forma de equilibrar e estabilizar situações econômicas. 

Oferta é a quantidade existente de um determinado produto ou então de um serviço específico que é oferecido por uma empresa. É o preço que empresários estão dispostos a colocar naquilo que entregam para a sociedade. 

Na outra ponta, demanda é o quanto os consumidores estão dispostos a consumir dentre produtos e serviços que são oferecidos. Ou seja, é a relação criada entre a determinação de um preço e as reais necessidades do mercado econômico.

Podemos observar esse conceito sendo aplicado em inúmeros tipos de mercado, desde mobilidade, beleza, educação até construção e agricultura. 

A variação entre oferta e demanda ocorre da seguinte forma: quando a demanda é maior do que a oferta, os preços dos produtos ficam mais elevados. Mas se a oferta é maior do que a demanda, os preços caem. 

Todas as vezes que um preço precisa ser criado, é levado em consideração fatores como: tecnologia, preço de custo, mão de obra, concorrência e valor de mercado. 

E os aspectos que os consumidores costumam levar em conta na hora de decidir pela compra são: classe social, poder aquisitivo, gostos e preferências, comportamento, preço de mercado, tendências e nível de educação financeira. 

Já reparou como o mercado fica mais cheio do que o convencional nos dias mais comuns de pagamento de salário ou então como os shoppings ficam ainda mais lotados no final do ano, que além de ser época de festa, é também o momento em que muitos recebem o 13o salário? 

E na outra extremidade, o mercado de luxo, por exemplo, é tão inacessível porque estamos falando de peças raras e exclusivas e que não podem ser acessadas por grande parte da população. 

Como funciona a lei? 

Oferta e demanda não é somente um conceito, é uma lei. Pode ser que você já tenha ouvido falar na Lei de Oferta e Procura. Saiba que estamos falando da mesma coisa! 

Essa é uma lei básica dentro da economia e foi formulada por Adam Smith, um economista e filósofo britânico que desenvolveu muitos trabalhos no período do iluminismo. Ele se destacou tanto que é considerado até hoje o pai da economia moderna e mais importante pesquisador na área do liberalismo econômico. 

Embora a aplicação desse sistema seja vista em grande quantidade, a maior dificuldade é que ele só funciona se o cenário de concorrência fosse ideal, ou seja, não sobrassem e nem faltassem produtos. Mas não é isso que acontece. 

Além do mais, o mercado funciona de maneira cíclica e as diferenças de oferta e demanda podem acontecer a qualquer hora e de maneiras bruscas, já que as preferências mercadológicas se alteram constantemente, principalmente com o advento das redes sociais que abrigam novas formas de propaganda. Isso porque a frequência com que pessoas, independentemente de idade, localização e gênero, buscam por produtos ou serviços específicos pode aumentar ou diminuir os preços de forma direta. 

Quais são os fatores que afetam a oferta e a demanda?  

Existem fatores naturais e previsíveis que podem compor a dinâmica de oferta e demanda, como já mencionado anteriormente neste texto. Mas não para por aí, afinal, nem tudo são flores. 

Seria muito mais fácil gerir um negócio se todas as circunstâncias pudessem ser extremamente calculadas e mensuradas. Mas a vida real não é assim. Por isso saiba que na hora de aplicar o conceito de oferta e demanda, você pode se deparar com adversidades como: 

Situação de mercado: Nem sempre o mundo dos negócios age de forma consistente e previsível. O mercado pode se comportar de uma maneira totalmente diferente do que foi explicado por Adam Smith. E quando isso acontece, a oferta e preço podem ser alterados. 

Crises sanitárias: Ninguém sabe que horas um novo vírus ou bactéria pode surgir em algum canto do planeta. E ainda que comecem em locais específicos, há chances de uma doença local se tornar uma epidemia ou, como vimos recentemente com a Covid-19, uma pandemia que se arrasta por anos e que começa a se associar com demais problemas de saúde que são comuns em cada cidade ou país. Essa situação tem um intenso poder de mudar os rumos de oferta e demanda de produtos e serviços. 

Crises econômicas: Os problemas sanitários, como mencionado anteriormente, podem acarretar em falhas econômicas que demandam anos e mais anos de recuperação. Fora isso, algo de muito grave pode acontecer no mercado, ainda que seja em um nicho, e carregar os estragos para várias outras áreas como num efeito dominó.  Um exemplo que podemos pensar nesse tópico é o da Crise Econômica de 2007

Problemas de produção: Podemos pensar em dois cenários. O primeiro é que crises econômicas podem impactar negativamente alguns setores e iniciar um novo problema que implica em conseguir produzir produtos e serviços da mesma forma que ocorria antes dessa adversidade. Prejudicando assim o preço de custo, por exemplo. O segundo é que um setor individualmente pode apresentar dificuldades de produção por si só, principalmente quando é emergente e pouco explorado. 

Mão de obra qualificada: Ainda que seja um produto viável de ser criado e produzido, ele só é factível se existir mão de obra para tal. E quanto mais pessoas estão se especializando em determinado assunto, mais possibilidades de cargos e salários são formadas dentro de empresas. Agora, se existem poucas pessoas interessadas em aprender sobre algo e você precisa, mais alto será o seu custo com salário ou pagamento de prestadores. 

Problemas de importação e exportação: 

Questões políticas e geográficas precisam ser analisadas nesse momento. Se um país tem livre comércio com outra nação, talvez fique mais fácil de você conseguir todos os materiais necessários para produzir o que vai vender, às vezes de forma até mais barata. Mas se essas duas nações começarem a ter divergências políticas entre si, pode ser que chegue a ponto de influenciar em taxas e burocracias ao fornecer ou comprar materiais. 

Tecnologia: O desenvolvimento tecnológico nunca foi tão rápido e inteligente como nos dias de hoje. Novos artifícios são fabricados diariamente e podem ter alguma relação com a sua linha de produção ou então com a necessidade do seu serviço. Afetando seu preço de custo e posicionamento no mercado.

Comportamento: Você se lembra há umas boas décadas em que olhávamos algo na televisão ou que algum ator estava usando e todos queriam ter exatamente a mesma coisa? Isso continua acontecendo, mas de uma forma muito mais frequente e exacerbada porque existem mais tipos de plataformas midiáticas. São inúmeros influenciadores digitais com milhões de seguidores que compartilham rotinas e hábitos e criam uma necessidade ou vontade de aquisição que às vezes não tinha sido nem pensada pelo próprio usuário das redes sociais. E para que isso aconteça, basta a publicação de um simples vídeo de 30 segundos patrocinado por uma marca ou instituição. Pronto! O fluxo de oferta e demanda está modificado. 

Como é aplicada a lei de oferta e demanda na área da saúde? 

A resposta para essa pergunta pode ser um tanto quanto simples. O conceito de oferta e demanda pode ser aplicado sem segredos ou complicações na área médica. 

Vamos pensar em exemplos práticos para entender como funciona a lei de oferta e demanda na área da saúde. 

A pandemia da covid-19 começou no Brasil em março de 2020, quando o primeiro caso foi confirmado pelos órgãos de saúde. Nos dias que sucederam esse anúncio, ainda existia muita incerteza e falta de clareza no que deveria ser feito a partir de então. O uso de máscara era aconselhado pela OMS apenas para trabalhadores da saúde e pessoas que estavam em contato com infectados. Até aí não tivemos nenhuma mudança no campo financeiro. 

Alguns meses depois, essa orientação foi alterada e começou a abranger mais pessoas que deveriam sim utilizar as máscaras, visto o frequente aumento no número de casos e mortes pela doença. Foi aí então que começou a subir o valor de objetos necessários na prevenção da doença por toda a população. 

O valor das máscaras, por exemplo, aumentou exponencialmente. A explicação desse fato se deve à Lei de Oferta e Demanda. Se antes uma empresa vendia 100 máscaras por dia para cidadãos, hospitais e clínicas, após a pandemia essa mesma empresa começou a vender muito mais do que o dobro. Consequentemente, os preços dispararam. A mesma coisa aconteceu com o álcool gel

A pandemia trouxe uma mudança tão drástica no cenário, que muitas vezes a lógica de oferta e demanda foi abusiva, gerando diversas denúncias por todo o país, como foi o caso do Estado de São Paulo

Isso tudo aconteceu em meio ao turbilhão do avanço da doença. Mas a oferta e demanda na área da saúde se aplica de várias outras formas além de crises sanitárias ou doenças contraídas por parte da população em determinadas épocas do ano. Um exemplo muito comum é no campo comportamental que tem impacto direto nos especialistas em cirurgia plástica.  

O Jornal da Universidade de São Paulo divulgou uma pesquisa que mostra o crescimento em 140% do número de procedimentos estéticos em jovens no Brasil. Eles justificam que um dos principais fatores para o aumento nessa faixa da população é a insatisfação com o próprio corpo a partir de comparações feitas com milhares de pessoas que estão no mundo virtual. 

Como pode afetar a sua clínica?

Se a Lei de Oferta e Demanda atingisse todos os níveis da economia, você não ficaria de fora! Em um momento os seus serviços médicos podem estar super valorizados, mas em outros podem ser apenas algo comum e corriqueiro para um determinado público. 

Se você está começando a montar uma clínica médica, saiba que o posicionamento da sua marca é fundamental, podendo buscar nichos específicos para atender e poder elaborar melhor seus valores. 

Se você está com o consultório há anos, já deve ter sentido os efeitos de oferta e demanda no dia a dia. Então, de agora em diante, é importante estar atento a alguns fatores durante os próximos planejamentos: 

  • Preço de custo dos produtos e serviços oferecidos; 
  • Precificação e margem de lucro; 
  • Investimento em marketing, principalmente na parte digital; 
  • Manter o olho na concorrência. 

Como gerenciar oferta e demanda na clínica? 

Separamos 4 dicas que você pode adotar em pequenos momentos do seu dia para gerenciar a lei de oferta e demanda no seu consultório. 

1 – Acompanhe suas vendas

Pode ser de um produto que você criou ou então de um novo tipo de atendimento que implementou. Saiba o quanto os seus clientes já existentes estão aderindo e gostando da iniciativa. Nesse momento você também pode propagar o que oferece a mais pessoas – como te mostramos nesse texto – para medir o nível de consumo e se vale a pena ou não continuar naquele formato. 

2 – Cuidado com o estoque

O pensamento é simples: se o mercado está em constante mudança e as regras de oferta e demanda mudam a todo instante e por inúmeros fatores, seria perigoso apostar em algo e criar um estoque gigantesco daquilo, não? Saiba como controla-lo para não perder lotes de material. 

3 – Não fique apenas nas funções manuais 

Você já imaginou o quanto de tempo levaria para conseguir cumprir o que foi proposto nas duas primeiras dicas se você fizer tudo isso por conta própria e em uma simples planilha? Para otimizar o tempo e para você conseguir desfrutar dessas dicas de forma integral, tenha um software médico como seu aliado nesse processo. Se você ainda não tem nenhum para a sua clínica, dê uma olhada nesse conteúdo que preparamos para você conseguir escolher o mais confiável

4 – Esteja atento ao mercado

Além de todas as obrigações que você tem dentro da clínica e da necessidade constante de cuidar e aprimorar o que você entrega, você também pode ficar atento ao que está acontecendo da porta para fora. É muita coisa para uma pessoa só, né? Mas infelizmente uma atividade é tão necessária quanto a outra. Mais do que saber do concorrente, você consegue se ajustar mais fácil ao mercado ao estar antenado para novas tecnologias, tendências, mudanças educacionais e novas formas de fazer o mesmo procedimento.

Uma boa forma de ficar mais atento a essas informações e entender o que mais você pode fazer pela sua clínica é baixando o e-book da Amplimed sobre gestão financeira. 

Faça download gratuito do E’book Gestão Financeira para Clínicas Médicas.

Inscreva-se em nossa newsletter

Receba novidades todas as semanas em seu e-mail

Posts relacionados

Conheça o sistema de gestão que auxilia no gerenciamento de sua clínica de ponta a ponta e descubra 9 formas práticas para diminuir custos.
Conheça os benefícios, os desafios, as principais integrações e muito mais sobre o prontuário eletrônico, suas funcionalidades e implementação.
Você sabe por que deve implementar um sistema de agendamento médico em sua clínica? Conheça 6 benefícios que podem convencê-lo.
Como medir o faturamento da clínica? Saiba como um sistema de gestão pode ajudar no controle financeiro do seu negócio de saúde.

Antes de falar com nosso time comercial,
nos informe:

Está buscando atendimento médico? Clique aqui

É paciente? Atenção!

Nosso sistema é exclusivo para gestão de clínicas, consultórios e operadoras de saúde. Se você precisa de atendimento, conheça nosso agendamento online e encontre os melhores profissionais.