Estamos em conformidade com as normas LGPD e a resolução CFM/2299 – saiba mais

Diferenciais entre o prontuário físico e o eletrônico

prontuário físico e eletrônico Amplimed

Compartilhe esse artigo em suas redes

Pop up de notícias sobre a CFM, regulamentação da Telemedicina no Brasil

Quando procuramos entender as diferenças entre duas modalidades de um mesmo documento, é importante que busquemos um pouco da história e, em qual momento dela, a primeira versão não foi mais suficiente e houve a necessidade de aprimorá-la. O prontuário eletrônico de pacientes (PEP) está justamente nesse lugar: é o prontuário físico mais lapidado.

Então, vamos às origens. A palavra prontuário vem do latim, promptuarium, e significa “lugar onde se pode guardar as coisas de que se pode precisar a qualquer momento”.

O primeiro registro que possui algumas características de um prontuário, e que pode ser considerado um ponto de partida na medicina, foi descoberto em 1892, mas estima-se ter sido escrito em torno de 3000 a.C. 

O papiro de Edwin Smith é o documento pioneiro, com referências e anotações concretas de enfermidades conhecidas hoje, como ulcerações mamárias, sendo esse um dos possíveis primeiros registros de câncer.

Ele foi dividido em 48 casos, em sua grande maioria lesões traumáticas. Os escritos eram instruções para que médicos examinassem minuciosamente os pacientes, em busca de sinais que indicassem a origem das lesões.

Mas apenas em 300 a.C., na Grécia, Hipócrates organizou os registros médicos em ordem cronológica, permitindo, talvez pela primeira vez, um estudo que envolvia início, meio e fim de cada caso, em anotações que mudariam, também, o curso de investigação dos próximos.

Assim como a história da medicina um dia teve o seu rumo alterado e, nos anos seguintes, aprimorado por um documento de quase 5.000 anos, hoje a tecnologia busca, dia a dia, melhorar os registros que temos e a assertividade em cada um deles.

É por isso que houve um momento em que o prontuário físico já não era suficientemente adequado para atender às necessidades do médico do século XXI. Diversos fatores demandaram uma urgência evolutiva que levou aos prontuários eletrônicos, como excesso de gastos com papéis, impressões e outros recursos, falta de espaço de armazenamento, informações divergentes, e outros que serão discutidos a seguir.

Hoje, o software de gestão da Amplimed traz o modelo mais adequado do mercado quando falamos de prontuários eletrônicos.

Um modelo formulado de acordo com a legislação, respeitando todos os artigos da Lei nº 13.787/2018, sobre a utilização e digitalização dos sistemas informativos de prontuários dos pacientes.

Por que o prontuário físico é uma ideia do passado e qual é a visão do futuro?

A etimologia da palavra prontuário já nos diz que são coisas que devem estar à mão, a qualquer momento e assim que precisarmos. Portanto, a busca muitas vezes demorada por esses documentos não é a tradução ideal desse conceito. As barreiras para que um sistema físico continue funcionando estão cada vez mais presentes.

prontuário físico

A precariedade do armazenamento em arquivos

As dificuldades organizacionais que um prontuário físico aponta são muitas, e talvez a principal delas seja a liberação de espaço de armazenamento. Segundo o Conselho Federal de Medicina, em publicação expedida em 2002, o prontuário médico deve ser preservado por 20 anos a partir da data do último registro.

Para um consultório de diversas especialidades e que conta com um numeroso corpo clínico, essa opção se torna mais inviável a cada aumento de pacientes. 

A clínica em questão precisaria, em sua logística, separar ao menos uma sala inteira para arquivos de prontuários, e mesmo assim talvez ainda fosse suficiente. 

Além de ocupar um espaço que poderia estar sendo utilizado para mais um profissional, gerando maior demanda e rentabilidade, a falta de praticidade no momento de busca também é um ônus da utilização desse sistema.

A solução está nas nuvens

O prontuário eletrônico não ocupa espaço algum na sua clínica. Na verdade, ele não ocupa lugar nem na área de trabalho do seu computador.

Todos os registos são feitos através de uma plataforma conectada, não há arquivos para baixar, todos os dados ficam armazenados em nuvem e podem ser acessados pelo médico a qualquer momento e com a facilidade de alguns cliques.

Mas talvez a maior vantagem dessa categoria de armazenamento seja a segurança garantida ao médico e paciente. Arquivos físicos, ou mesmo um computador com documentos salvos, podem ser extraviados. Mas ninguém consegue acessar documentos na nuvem, a não ser que tenha a sua chave de permissão.

Isso garante a privacidade do paciente, que é proprietário do seu prontuário, mas não tem a sua posse, esta, fica com o médico responsável, levando em conta o Código de Ética Médica.

Até mesmo a secretária médica conseguirá modificar, acrescentar ou alterar apenas as informações que o médico permitir que ela visualize, ampliando o elo de confiança com os pacientes.

Sabemos que uma das maiores preocupações que permeiam o acesso ilimitado à internet hoje em dia está pautada em privacidade. Por isso é imprescindível encontrar um software que ofereça o prontuário eletrônico em um sistema que se enquadre em todos os aspectos da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).

Tempo que poderia ser distribuído em outras prioridades

Você digita ou escreve mais rápido? A grande maioria da população leva pelo menos metade do tempo digitando uma palavra considerada comprida, do que levaria escrevendo à mão. 

Normalmente as informações inseridas no prontuário vêm não só dos relatos de pacientes, como também de dados referenciados de exames. Agora, se colocarmos isso em uma relação direta com o tempo de escrita e digitação mencionado acima, vamos perceber que a agilidade pode ser um diferencial ainda maior quando falamos de olhar para o dado e copiá-lo em seguida.

Adicionamos a essa mistura o fato de, às vezes, ser necessário preencher dados enquanto se fala ao telefone ou realiza um atendimento por teleconsulta. 

Pegar papel e caneta e conciliar com outras tarefas, sendo que muitas delas já estão nesse computador à sua frente, ainda parece a melhor ideia? 

Prontuário eletrônico e o seu tempo otimizado

Se a resposta ainda foi sim, permita-me convencer te convencer do contrário.

A prática leva à perfeição, e se você não se considera um profissional muito ligado a tecnologia, ou que não possui a rapidez da digitação nos dedos, saiba que isso é questão de tempo.

E tempo é o que você terá de sobra quando decidir migrar do prontuário físico para o eletrônico. Nesse ponto chegamos a uma junção de todos os benefícios e diferenciais que já foram enumerados até aqui. 

A abertura de espaço na clínica, proveniente da eliminação dos papéis, a digitalização e o armazenamento em nuvem, são facilitadores para uma busca mais rápida, o que, consequentemente, reduz o tempo de cada consulta, podendo aumentar, proporcionalmente, o número de pacientes atendidos por dia.

A otimização do tempo de atendimento será notável e isso poderá atingir níveis maiores de fidelização de pacientes e rendimento financeiro para a clínica.

Assertividade no preenchimento das informações

Esse talvez seja o argumento mais certeiro de todos, então, para ele, vamos utilizar apenas um tópico. Para mostrar que não há erros. 

O prontuário físico é passível de mais erros humanos do que o eletrônico, visto que a tecnologia já tem, há alguns anos, a conhecida função corretora que as nossas mãos, por si só, não possuem.

O que não quer dizer que haja desatenção ou falta de conhecimento por parte dos preenchimentos manuais. Mas é comum que, com um pouco de pressa, informações possam passar despercebidas, tanto por médicos, quanto pela equipe de profissionais da saúde que trabalham em sua clínica.

Para essa questão, a tecnologia nos apresenta um amigável conselheiro que nos permite uma taxa irrelevante de erros, ou mesmo zero.

Além disso, em um prontuário eletrônico como o da Amplimed, informações padrão já são armazenadas e, por vezes, sugeridas, em módulos especializados. E, se você não encontrar um módulo adequado aos seus critérios, ainda pode utilizar o nosso prontuário padrão e personalizá-lo da forma que sua clínica necessitar.

Armazene números, visualize gráficos

Sabemos que um prontuário não é feito apenas de números de resultados de exames. Paciente nenhum pode ser examinado por matemática da cabeça aos pés. 

Pelo contrário, o tato e o cuidado com o humano, com aquilo que é dito, mas também a comunicação não verbal expressa pelo corpo, que detalham o quadro do paciente e muitas vezes permitem a chegada a uma conclusão.

Mas tudo isso um médico já sabe que faz parte de uma anamnese dedicada, requisito básico para o preenchimento de um prontuário funcional e certeiro.

O recurso gráfico que a plataforma da Amplimed disponibiliza é um adendo, uma ferramenta que consideramos essencial e prática para a interpretação das informações que constam em cada exame.

E esse é um recurso chave, que pode ser a senha para um diagnóstico final, e que nenhum prontuário físico pode disponibilizar.

A partir do preenchimento dos valores de referência dos exames, o nosso sistema começa a formular um gráfico, que se completa e modifica a cada inclusão de novos valores.

Com isso, é possível fazer um acompanhamento completo de cada caso, de forma muito mais detalhada, eficiente e explicativa, tanto para médico, quanto para o paciente que busca entender sua condição.

Para doenças crônicas e pacientes recorrentes, que exigem acompanhamentos em intervalos menores de tempo, isso é um avanço e pode ser o diferencial da sua clínica.

O software da Amplimed tem o melhor prontuário eletrônico do mercado

Espero que até aqui já tenha você já esteja convencido de que o prontuário eletrônico é a melhor opção para o seu consultório, mas se ainda paira alguma dúvida sobre implementar nossa tecnologia na sua clínica, aqui vai um resumo dos motivos:

– Otimização do tempo de preenchimento em consulta;

– Segurança e privacidade para médico e paciente, com plataforma pautada na Lei Geral de Proteção de Dados;

– Armazenamento em nuvem, criptografado e com backup diário;

– Assertividade no preenchimento das informações;

– Geração automática de gráficos para análise, a partir de valores de referência dos exames trazidos pelo paciente;

– Módulos especializados;

– Módulo padrão personalizável;

– Telemedicina e prontuário eletrônico integrados na mesma tela;

– Liberação do espaço físico na clínica.

Se você precisar de mais motivos, preencha o formulário abaixo e um dos nossos consultores ficará feliz em entrar em contato e adicionar ainda mais itens a essa lista

Compartilhar em:

Olá amigo(a), conheça o software Amplimed, feito por médicos, com a intenção de contribuir com o ecossistema da saúde de forma digital.
Doutor marcos andré
Marcos. A. Sonagli
Ortopedista
5/5
"A Amplimed é uma empresa séria e competente, presta um serviço de referência no atendimento e suporte ao cliente. O sistema é de fácil manuseio, oferece suporte instantâneo, possui múltiplas funções que facilitam a organização da sua clínica."
Que tal testar grátis o sistema Amplimed?