Estamos em conformidade com as normas LGPD e a resolução CFM/2299 – saiba mais

Diagnóstico médico: parâmetros clínicos essenciais para 2022

Diagnóstico médico

Compartilhe esse artigo em suas redes

Pop up de notícias sobre a CFM, regulamentação da Telemedicina no Brasil

Diagnóstico médico é um processo que todos os profissionais da saúde executam durante o atendimento, seja no início ou no decorrer das consultas e realização de exames. 

Ele serve para analisar qual o estado de saúde da pessoa que está sendo assistida ou então observar com mais detalhes em qual estágio determinada doença está. Esse processo vale tanto para questões físicas quanto mentais. 

Tendo um diagnóstico médico em mãos após a análise de parâmetros clínicos, é possível saber qual a situação atual daquela determinada pessoa, como tem caminhado um tratamento que ela está fazendo, rastreamento de possíveis fatores de risco, pioras de quadros e ainda identificar formas de prevenir doenças que possam surgir a longo prazo. 

Quando esse assunto é abordado, pode até parecer um pouco óbvio a necessidade de conferir essas informações do corpo de uma pessoa. Principalmente quando se está falando de casos graves, complexos ou que estão em tratamento intenso. 

Mas vale ressaltar que o diagnóstico médico é essencial para qualquer cidadão, independentemente do nível de preocupação e cuidados que aquela pessoa demanda, isto é, desde os mais simples até os que estão sob risco de vida. 

Para fazer o diagnóstico médico, o especialista leva em consideração todos os sintomas que foram observados e relatados pelo paciente, mas também considera o histórico clínico daquela pessoa e informações familiares que sejam relevantes para o momento. 

Nesse texto, você vai aprofundar seus conhecimentos em diagnóstico médico e entender com quais parâmetros clínicos você precisa se preocupar ou dar mais atenção durante a sua consulta. 

Mais do que isso, também vai saber quais ferramentas podem ser suas aliadas nesse processo, garantindo mais qualidade nos seus atendimentos. Continue acompanhando o conteúdo abaixo! 

Quais parâmetros clínicos devem ser analisados no diagnóstico médico?

Pelo dicionário de Oxford, parâmetro é tudo aquilo que é definido por um padrão, por uma regra e que costuma ser feita uma relação ou uma comparação. 

Aplicando esse termo para o mundo da medicina, parâmetro clínico é a medicação, checagem e análise de como anda a saúde de uma pessoa por meio da conferência de níveis e números. 

Após essa coleta, os dados são observados e comparados com o que é esperado para um ser humano que tem mesma idade, peso, estilo de vida e que pode estar ou não condicionado a determinada enfermidade. 

A verificação de todos os parâmetros clínicos pode ser solicitada até mesmo pelo paciente. Mas o mais comum é ser conferido pelos profissionais da saúde. 

Em caso de atendimentos emergenciais que são feitos em centros hospitalares, é comum que os assistidos passem inicialmente em uma triagem feita por enfermeiros para que as primeiras informações sejam checadas com mais rapidez, desde temperatura corporal até nível de glicose no sangue. 

De acordo com a Portaria nº 2048 de 5 de novembro de 2002, o Ministério da Saúde brasileiro definiu que esse processo de triagem precisa ser feito por uma pessoa que tenha nível de escolaridade superior, dentro do ramo da saúde, e que esse trabalhador precisa receber um treinamento adequado para realizar essa tarefa, levando em conta todos os protocolos estabelecimentos por legislações federais, estaduais e municipais, bem como a legislação interna do hospital. 

Detalhamos as principais informações que precisam ser descobertas nesse início: 

  • Peso
  • Altura 
  • IMC
  • Diabetes 
  • Nível da pressão arterial 
  • Alergia a medicamentos 
  • Principais sintomas que têm sentido nas últimas horas ou até mesmo nos últimos dias 
  • Checagem dos sinais vitais 
  • Saturação e nível de oxigenação no sangue 
  • Verificação se há febre por meio da medida de temperatura corporal
  • Medicação dos picos de fluxo respiratório 

Para que o profissional tenha acesso a todos esses parâmetros, alguns instrumentos especializados são necessários durante a checagem. Os mais utilizados hoje em dia são: 

  • Esfigmomanômetro 
  • Termômetro 
  • Glicosímetro 
  • Oxímetro 
  • Monitores que vão mostrar os batimentos cardíacos

Importante ressaltar que esse processo de análise de parâmetros é mais do que etapa obrigatória quando estamos falando de emergência e urgência. Mas as clínicas ambulatoriais, laboratórios e centros terapêuticos não precisam ficar de fora. 

Até mesmo na medicina do trabalho, que tende a trabalhar mais com prevenção e monitoramento, o diagnóstico médico precisa ser feito o tempo todo e transmitido a empresas em formato de laudos. Nessa checagem, também há parâmetros clínicos essenciais. 

Esse momento é importante para qualquer tipo de acompanhamento que será feito. Isso porque ter essas informações de prontidão podem elevar qualquer técnica que será aplicada, visto que o especialista terá mais conhecimento sobre como está a parte física ou mental do paciente naquele determinado momento. 

Passando esse momento inicial, depois, quando o paciente chega até o consultório, o médico continua esse processo para colher ainda mais informações para ter um diagnóstico médico ou pelo menos encaminhar o assistido para alguns procedimentos que vão possibilitar resultados mais certeiros e precisos. 

Ao longo dos encontros entre especialista e atendido, é comum que alguns tipos de exames sejam pedidos de forma mais corriqueira e massiva para que o diagnóstico médico seja completo. Como por exemplo: 

  • Hemograma completo 
  • Glicemia em Jejum 
  • Colesterol 
  • Triglicerídeos 
  • Ureia e creatina 
  • Enzimas TGO e TGP 
  • Verificação da glândula tireoide por meio do TSH e T4 Livre 
  • Eletrocardiograma
  • Ecocardiograma
  • Teste ergométrico
  • Exame de audiometria 
  • Exame com oftalmologia para verificar se há necessidade do uso de algum grau ou reajuste de uma formatação já utilizada até então 

Até aqui estamos falando de parâmetros clínicos essenciais. Ou seja, para qualquer especialidade que seja o atendimento, para qualquer nível de complexidade de caso, para qualquer tipo de instituição de saúde e para qualquer descoberta que deseja ser feita, mesmo que seja um simples monitoramento e check up anual

Esse é o passo inicial para pesquisas futuras. Pode ser que os dados obtidos inicialmente com a utilização dos parâmetros básicos sirvam – e muito – para investigações mais raras ou demoradas. 

A Sociedade de Medicina Tropical, por exemplo, publicou um artigo feito por quatro médicos brasileiros que definiram quais os parâmetros médicos em caso de suspeita de leishmaniose. Há uma série de observações que precisam ser feitas, além das citadas neste texto anteriormente. O mesmo deve acontecer para casos cardíacos, psiquiátricos, gástricos e etc. 

O que é necessário para fazer um diagnóstico médico?

Você já sabe quais são os parâmetros médicos que precisam ser verificados durante os encontros com os pacientes para que o diagnóstico médico seja condizente com a realidade clínica. 

Mas como fazer isso? Em quais momentos do atendimento o profissional deve se preocupar em captar essas informações do paciente e como trabalhá-las? Separamos três passos cruciais para obter um bom diagnóstico médico.

1 – Consulta 

Pode parecer um tanto quanto lógico, mas para que o diagnóstico médico exista, é necessário antes de mais nada atrair pacientes para se consultar com o seu time de especialistas. 

Então, essa deve ser uma preocupação constante na sua vida como gestor ou dono de uma clínica médica. 

Por isso, a Amplimed separou algumas dicas para que você consiga aumentar o seu fluxo de pacientes e tenha a agenda sempre cheia. 

A consulta pode ser feita tanto no modelo presencial, que é mais conhecido e mais tradicional, quando o paciente vai até um consultório físico para ser atendido, ou então pode acontecer por meio da telemedicina que foi regulamentada no Brasil em abril de 2020 por meio da Lei nº 13.989, após o início da pandemia da covid-19. 

2 – Anamnese de qualidade 

Como saber o que buscar sem perguntar? A conversa com o paciente precisa ser algo naturalizado no momento da consulta, cujo bate-papo vai servir para averiguar possíveis informações relevantes que o assistido tenha para te passar. É nesse momento de troca que parte do histórico médico é construído. 

Vamos imaginar que os parâmetros essenciais foram verificados. O caminho para um diagnóstico médico preciso fica mais fácil de ser percorrido se informações complementares forem adicionadas, como se aquela situação já ocorreu em outro momento da vida do paciente ou ainda se algum membro da família passa ou já passou pelo mesmo quadro. 

3 – Usar a tecnologia a favor da sua empresa 

Diagnóstico médico

Um bom diagnóstico médico não para no momento em que ele é dado ao paciente e os parâmetros clínicos essenciais não se resumem em somente descobrir os números do paciente. 

Coletar é muito importante, somente assim o diagnóstico poderá ser feito. Mas de nada adiantará se o arquivo de todos esses dados for muito dificultoso ou inadequado. O diagnóstico médico precisa ser de fácil acesso de todos. 

Do que adiantaria ter muita eficiência para descobrir características do quadro clínico alheio, se essa informação terá dificuldade de ser visualizada pelas demais pessoas que estão envolvidas no processo, desde o próprio paciente até colaboradores que realizam exames de imagem e laboratoriais?

A forma mais simples e efetiva de trazer uma solução positiva para isso é utilizar o prontuário eletrônico e arquivar tudo na nuvem, podendo ser acessado de qualquer local, em qualquer horário e em qualquer dia. Basta apenas um login e uma senha de acesso. 

Utilizar a nuvem e abandonar o arquivo físico economiza tempo de trabalho de todos da equipe e mostra mais organização e eficiente para quem contratou os serviços do estabelecimento de saúde. Confira mais sete benefícios do sistema na nuvem

Mas atenção que você precisa estar protegido de acordo com o que a Lei Geral de Proteção de Dados manda. 

Você também encontrará problemas caso a apuração dos parâmetros clínicos essenciais seja feita de um jeito muito lento, sem otimizar o tempo. Imagina ter que anotar à mão todos os resultados ou ainda ter que passar tudo isso para um sistema posteriormente. 

Ficaria mais complicado e tomaria muito tempo tanto do profissional quanto do atendido, certo? Para resolver esse problema, é interessante pensar em formas mais dinâmicas. O prontuário eletrônico é uma ferramenta que também vem para lidar com essa questão. 

A tecnologia tem ganhado cada vez mais espaço na medicina para trazer muitos benefícios e melhorias tanto no campo prático quanto acadêmico. O que foi apresentado neste texto é só uma parte de tudo que ela pode oferecer. 

Quer saber mais? Então preencha os dados abaixo e tenha acesso agora mesmo ao e-book da Amplimed sobre transformação digital. 

Compartilhar em:

Olá amigo(a), conheça o software Amplimed, feito por médicos, com a intenção de contribuir com o ecossistema da saúde de forma digital.
Doutor marcos andré
Marcos. A. Sonagli
Ortopedista
5/5
"A Amplimed é uma empresa séria e competente, presta um serviço de referência no atendimento e suporte ao cliente. O sistema é de fácil manuseio, oferece suporte instantâneo, possui múltiplas funções que facilitam a organização da sua clínica."
Que tal testar grátis o sistema Amplimed?